AUTORES - GÊNEROS TEXTUAIS & ENSINO

 

I

 

 

ORGANIZADORAS E AUTORAS:

 

Angela Paiva Dionisio, doutora em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-doutorado pela Universidade da Califórnia em Santa Barbara (USA), é professora de língua portuguesa do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco. É editora da revista Ao pé da letra (www.revistaaopedaletra.net) (1518-3610). Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE (abril/2006 – maio/2010) e do GT Linguística de Texto e Análise da Conversação (ANPOLL 2004-2006;2006-abril/2008). Possui várias publicações na área de linguística, com ênfase em linguística textual, gêneros textuais, multimodalidade e análise da conversação. É membro da coordenação editorial da coleção Linguagem e Linguística, da coleção Letras e da Coleção Teses (PG Letras da UFPE). Publicou, em 2009, A interação em narrativas conversacionais. Conjuntamente com Maria Auxiliadora Bezerra organizou O livro didático de português: múltiplos olhares (2010); com Judith Hoffnagel organizou Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia, de Carolyn Miller (2009), além de Gêneros textuais, tipificação e interação (2006), Gênero, agência e escrita (2006) e Escrita, gênero e interação social, de Charles Bazerman (2007).

Anna Rachel Machado é professora do Programa de Estudos Pós-graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem da PUC/SP, pelo qual se doutorou. Fez estágios de pós-doutorado na Universidade de Genebra e no Instituto de Formação de Professores de Marselha e vem atuando como professora convidada dessas duas instituições. Desenvolve pesquisas e assessoria a instituições de ensino, enfocando a caracterização de gêneros de texto para a produção e avaliação de material didático. É autora do livro O diário de leituras: a introdução de um novo instrumento na escola e coautora dos livros Resumo, Resenha Planejar gêneros acadêmicos e Trabalhos de pesquisa: diários de leitura para a revisão bibliográfica, pertencentes à Coleção "Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos", da qual é também coordenadora. Organizou a obra O ensino como trabalho e coorganizou Gêneros textuais & Ensino e Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Traduziu a obra Atividade de linguagem, textos e discursos, de J.-P. Bronckart. Atualmente, desenvolve e orienta pesquisas que enfocam as relações entre linguagem e trabalho do professor, em uma perspectiva transdisciplinar. É líder do Grupo de Pesquisa ALTER – Análise de Linguagem, Trabalho, Educação e suas Relações (CNPq) e colaboradora do projeto de pesquisa do Grupo LAF (Langage – Action — Formation), da Universidade de Genebra.

Maria Auxiliadora Bezerra, doutora em linguística pela Universidade de Toulouse-le-Mirail (França), é professora de linguística na Unidade Acadêmica de Letras da Universidade Federal de Campina Grande.  Atua principalmente na área de linguística aplicada, desenvolvendo trabalhos sobre ensino de língua materna, leitura/escrita e ensino de texto, avaliação da aprendizagem, formação de professor e livro didático. É membro da coordenação editorial da coleção Linguagem e Linguística. Tem publicações nas áreas de linguística aplicada ao ensino da língua materna, tais como "O ensino de língua numa perspectiva interdisciplinar" (2010), "Aprender a escrever na academia: dos saberes referenciais à prática de textos acadêmicos" (2009), "A escrita em contexto de formação continuada: objeto a aprender e objeto a ensinar" (2008). Com Angela Paiva Dionisio organizou O livro didático de português: Múltiplos olhares (Parábola Editorial).

 

AUTORES:

Angela B. Kleiman, lic. Universidad de Chile, Mestre e PhD. pela University of Illinois (EUA), foi diretora de programas de educação bilíngue em Detroit, Michigan (EUA), professora de linguística na PUC - Campinas e hoje é professora titular no Departamento de Linguística Aplicada na Unicamp. Tem publicações nacionais e internacionais nas áreas de leitura, interação em sala de aula, alfabetização de jovens e adultos e formação de professores, incluindo os livros Leitura: ensino e pesquisa (1989); Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura (1989); Os significados do letramento (1995); Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola (1999, com Silvia Moraes); O ensino e a formação do professor (2000, com I. Signorini).

Abuêndia Padilha Pinto, professora de língua inglesa e de inglês instrumental da UFPE, atuando também na pós-graduação em letras da mesma universidade. Doutora em linguística aplicada ao ensino de línguas pela PUC-São Paulo. Tem trabalhos publicados nas áreas da linguística aplicada, da cognição e leitura, da linguística textual e da psicolinguística.

Cleide Emília Faye Pedrosa, fez pós-doutorado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, doutorado e mestrado pela Universidade Federal de Pernambuco. Implantou e coordenou o Mestrado em Letras na Universidade Federal de Sergipe de 2007 a 2009. É membro do corpo editorial da revista LETRAS, da Universidad Experimental Libertador, Caracas/Venezuela, e membro da Academia Brasileira de Filologia, Rio de Janeiro, UERJ como sócia correspondente pelo estado do Rio Grande do Norte. Participou como professora autora da Universidade Aberta do Brasil/UFS. Atualmente é professora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atua nos programas de pós-graduação na UFS e na UFRN. Suas publicações incluem autoria e organização de livros, capítulos de livros com indexação nacional e internacional, com temáticas, entre outras, que abrangem análise crítica do discurso, discurso midiático, discurso religioso, textos multimodais, educação a distancia.

Dóris de Arruda Carneiro da Cunha fez graduação em letras pela Universidade Federal de Pernambuco (1983), DEA em linguística — Université de Paris V (Paris Descartes) (1986), doutorado em ciências da linguagem – Université de Paris V (Paris Descartes) (1990) e pós-doutorado na Université de Paris III — Sorbonne Nouvelle (2010). É pesquisadora do CNPq e professora associada da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de linguística, com ênfase em teoria da enunciação, atuando principalmente nos seguintes temas: discurso reportado, enunciação, gênero discursivo, interação, dialogismo, heterogeneidade enunciativa, fala e escrita. Faz parte do Ci-Dit, Groupe international et interdisciplinaire de recherche sur le discours rapporté (www.ci-dit.com); integra o NELFE, Núcleo de Estudos Linguísticos da Fala e da Escrita, o grupo Linguagem, Identidade e Memória e o NURC-Recife. É autora do livro Discours rapporté et circulation de la parole (1992), e de artigos e capítulos de livros publicados em periódicos, anais de congressos e livros nacionais e internacionais. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE (2002-2003), diretora de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPE (2003-2008). É membro da comissão editorial da Revista do GELNE; do conselho editorial do periódico Bakhtiniana.

Eliane Lousada é doutora pelo programa de Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (LAEL) da PUC-SP. Atua no campo da educação há mais de dez anos e participou de vários grupos de elaboração de atividades, livros didáticos e paradidáticos, na área de línguas estrangeiras e de língua materna, grupos que têm como preocupação o ensino de gêneros na perspectiva do interacionismo sociodiscursivo. Seus estudos atuais concentram-se na área da análise dos discursos produzidos em situações de trabalho educacional.

Judith Chambliss Hoffnagel é doutora em antropologia — Indiana University (1978). Tem pós-doutorado em antropologia linguística na University of Texas (1987). Atualmente é professora associada II da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de linguística, com ênfase em gêneros discursivos, atuando principalmente nos seguintes temas: fala e escrita, gêneros textuais, gêneros discursivos e identidade social. Na área de antropologia, trabalha com família, gênero, sexualidade e saúde. Conjuntamente com Angela Dionisio organizou Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia, de Carolyn Miller (2009), além de Gêneros textuais, tipificação e interação (2006), Gênero, agência e escrita (2006) e Escrita, gênero e interação social de Charles Bazerman (2007).

Lília Santos Abreu-Tardelli é doutora e mestre em linguística aplicada e estudos da linguagem (LAEL) da PUC-SP e graduada em letras pela UNICAMP. Participante do grupo de pesquisa ALTER-CNPq (Análise de Linguagem, Trabalho Educacional e suas Relações) desde sua fundação, é coautora de livros didáticos e paradidáticos de língua inglesa e portuguesa – dentre eles, a coleção "Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos" (Parábola Editorial). É também autora de artigos referentes ao ensino de gêneros textuais e ao trabalho educacional. Leciona língua inglesa e portuguesa há 19 anos e trabalha com formação de professores há 10 anos. Desde 2005, é professora concursada de língua portuguesa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IF-SP).

Luiz Antônio Marcuschi, doutor em filosofia da linguagem pela Universidade de Erlangen-Nurnberg, Alemanha em 1976. Titular em linguística, no Depto. de Letras e no curso de pós-graduação em linguística da UFPE. Publicou: Linguagem e classes sociais (1975); Linguística de texto: o que é e como se faz (1983); Análise da conversação (1986); Da fala para a escrita. Atividades de retextualização (2001); Produção textual, análise de gêneros e compreensão (2008); Fala e escrita (2005) e Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido" (2004), além de artigos científicos em periódicos especializados. Sua especialidade é na área de linguística textual, análise da conversação, filosofia da linguagem e semântica.

Lusinete Vasconcelos de Souza, doutora em linguística aplicada e estudos da linguagem pela PUC/SP, é professora do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação da Universidade Federal de Goiás. Suas pesquisas centram-se no ensino de produção e leitura de textos da 1a à 4a série do ensino fundamental. Atualmente coordena o projeto Gênero do discurso na prática de produção de textos e prepara o livro As proezas das crianças: das mal traçadas linhas ao texto de opinião.

Márcia Mendonça foi professora de língua portuguesa da Universidade Federal de Pernambuco de 1997 a 2009, onde também cursou o mestrado (1997) e o doutorado (2008), ambos em linguística. Atualmente leciona no curso de letras da Universidade Federal de São Paulo, campus Guarulhos. Tem experiência na área de linguística aplicada, com ênfase em ensino de língua portuguesa, além de pesquisar sobre o gênero histórias em quadrinhos e o processo de quadrinização. Desenvolve ainda trabalhos de assessoria junto ao MEC, organizações não governamentais, secretarias de educação e instituições de ensino, especialmente na área de formação de professores e de reformulação curricular da área de língua portuguesa. Organizou o livro Português no ensino médio e formação do professor (Parábola Editorial), além de outros livros e artigos sobre temas diversos: ensino de língua materna, formação de professores, leitura, letramento, gêneros textuais, livro didático, análise linguística e avaliação.

Nelson Barros da Costa, doutor em linguística aplicada e estudos da linguagem pela PUC/SP, na área de análise do discurso, é professor adjunto de linguística do Departamento de Letras Vernáculas e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará. Suas pesquisas têm se voltado com especial destaque para o gênero canção e para o discurso literomusical brasileiro. É líder do grupo de pesquisa Discurso, Cotidiano e Práticas Culturais (Grupo Discuta). Atualmente, cursa pós-doutorado na Universidade de Paris XII, onde desenvolve a pesquisa "Cenas Enunciativas na Música Popular Brasileira: um estudo em três movimentos".

Vera Lúcia Lopes Cristovão, docente da Universidade Estadual de Londrina (UEL), tem mestrado, doutorado e pós-doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Além de professora do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas e do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da UEL, é pesquisadora com bolsa de produtividade em pesquisa pela Fundação Araucária com atuação nas áreas de estudos de gêneros textuais, educação (inicial e continuada) de professores de línguas e ensino-aprendizagem de língua estrangeira. Além de colaboradora em algumas coletâneas, é organizadora de alguns títulos e parecerista de alguns periódicos da área.